Autor: Elson Barbosa

YouTube vai aumentar o número de anúncios impossíveis de pular

Para os criadores de conteúdo, a liberação dessa novidade pode ser uma boa em termos financeiros. Anunciantes tendem a pagar mais por anúncios que não podem ser pulados, o que pode aumentar as receitas do canal. Do ponto de vista do público, no entanto, o formato costuma causar frustração e pode ser um incentivo a mais para a instalação de ad-blockers, o que poderia causar o efeito oposto nas receitas do canal.

O YouTube também nota, no entanto, que esses anúncios “impuláveis” tendem a ser curtos, com no máximo 15 segundos de duração para o público brasileiro. Isso é até três vezes mais do que um anúncio interrompido após cinco segundos, mas ainda é menos do que a média de um anúncio exibido nos intervalos comerciais da TV, por exemplo.

Os resultados da liberação dessa funcionalidade ainda precisarão ser analisados com mais cuidado no futuro, mas é fato que no curto prazo a tendência é que vejamos mais anúncios “impuláveis” no YouTube.

Para os criadores de conteúdo, a liberação dessa novidade pode ser uma boa em termos financeiros. Anunciantes tendem a pagar mais por anúncios que não podem ser pulados, o que pode aumentar as receitas do canal. Do ponto de vista do público, no entanto, o formato costuma causar frustração e pode ser um incentivo a mais para a instalação de ad-blockers, o que poderia causar o efeito oposto nas receitas do canal.

O YouTube também nota, no entanto, que esses anúncios “impuláveis” tendem a ser curtos, com no máximo 15 segundos de duração para o público brasileiro. Isso é até três vezes mais do que um anúncio interrompido após cinco segundos, mas ainda é menos do que a média de um anúncio exibido nos intervalos comerciais da TV, por exemplo.

Os resultados da liberação dessa funcionalidade ainda precisarão ser analisados com mais cuidado no futuro, mas é fato que no curto prazo a tendência é que vejamos mais anúncios “impuláveis” no YouTube.

Google One chega ao Brasil para substituir assinaturas do Google Drive

Google One chegou ao Brasil nesta terça-feira (28) para substituir os planos pagos do Google Drive. Anunciado nos EUA em maio, a novidade dá cara nova às assinaturas de armazenamento do serviço de nuvem do Google, reajustando preços e quantidades de espaço disponíveis para guardar arquivos em todos os produtos da empresa, como Gmail e Google Fotos. A tendência é que a novidade ajude a simplificar a oferta do serviço aos usuários.

O lançamento também traz compartilhamento familiar para até cinco pessoas, upgrade de espaço, suporte com especialistas e recompensas para os usuários, como vouchers para comprar apps e jogos. O Drive continuará existindo como plataforma de gerenciamento de arquivos, agora sem ligação direta à compra de cotas na nuvem. Nada muda para quem tem apenas conta gratuita, que segue oferecendo 15 GB livres de armazenamento. Usuários de contas corporativas no G Suite também mantêm as configurações de espaço no Drive.

Apesar do anúncio oficial no Brasil, a página brasileira do Google One ainda não revela os valores de assinatura. Por enquanto, o Google se limita a dizer que atuais usuários pagos terão upgrade de espaço sem precisar desembolsar mais por isso. Em alguns casos, diz a empresa, a mensalidade pode até diminuir.

As opções de armazenamento variam de 100 GB a 30 TB. A principal novidade é a cota de 200 GB, que tem preço de R$ 9,99 por mês O Google também eliminou o plano de 1 TB e, em contrapartida, baixou o preço da opção de 2 TB pela metade. Atuais assinantes do Google Drive serão migrados para os novos planos do One automaticamente.

Benefícios

Principal benefício do Google One, o compartilhamento familiar não requer a ativação de um plano específico para usar. O recurso permite adicionar até cinco parentes em um mesmo plano. Cada integrante conta com os usuais 15 GB e pode consumir o armazenamento pago da conta primária ao extrapolar esse limite. Os usuários armazenam seus arquivos separadamente, dividindo apenas a quantidade de gigabytes disponíveis na nuvem.

Assinantes também contam com acesso facilitado a um time de especialistas online para tirar dúvidas sobre qualquer produto da empresa. Além disso, usuários do serviço podem receber presentes: inicialmente, o Google irá distribuir vouchers da Play Store para comprar apps e jogos do Android. A empresa promete adicionar mais vantagens ao longo dos próximos meses.

Junto com Argentina e México, o Brasil é um dos primeiros países da América Latina a terem o Google One disponibilizado aos usuários. Apesar de ter sido lançado nos EUA em maio, o serviço foi disponibilizado a todos os interessados no país norte-americano apenas no último dia 15 de agosto.

Empresas que não investem no Instagram estão ficando fora do mercado

Segundo o diretor de negócios global do Instagram, Vishal Shah, mais de 50 milhões de pessoas utilizam a rede social Instagram no Brasil. Esse dado dá uma ideia da dimensão que uma simples rede para compartilhar fotos e vídeos acabou conquistando. Hoje, as fotos são apenas parte do que é o Instagram, controlado pelo grupo Facebook.Além disso, ter seguidores virou sinônimo de sucesso – e provavelmente lucros.

Não é novidade, portanto, que até mesmo perfis pessoais tenham virado grandes negócios com o Instagram. A fórmula do sucesso é uma conjunto de estratégias que buscam potencializar o uso da rede social. Organizar o feed, produzir conteúdo relevante, comprar seguidores: tudo pode levar ao sucesso.

No caso de quem prefere comprar seguidores no Instagram, a ação deve ser bem analisada antes. Para transformar o Instagram em negócio e ganhar audiência é preciso, sobretudo, seguidores de qualidade.

Melhorar o ranking de um perfil no Instagram não é uma tarefa impossível. Há maneira de se fazer isso para se aproveitar o momento positivo da rede social. Atualmente, estima-se que o Instagram vale mais de US$ 100 bilhões, ou seja: a hora é essa!

Atenção ao feed e aos detalhes

Criar uma conta no Instagram e utilizar dezenas de hashtags não é suficiente para atrair seguidores. É preciso ir além e investir em um feed organizado. Seguir uma cartela de cores e dar preferência aos mesmos filtros são algumas das ações que podem ajudar.

Essa tática também não deve ser ignorada. Perfis com feeds organizados tendem a atrair mais seguidores no Instagram. A estética de um perfil, de fato, é levada em conta na hora de ser seguidor por muitas pessoas.

No Instagram é fundamental também a atenção aos detalhes. Há informações importantes que devem ser preenchidas no perfil. É possível incluir link para a página da web, disponibilizar contatos e descrever-se. A lógica é: quanto mais informações, maior a credibilidade na rede social e mais aparecerá nas pesquisas.

Marcar presença no Instagram

Possuir uma conta no Instagram e não atualizá-la é o erro de muitos usuários. Empresas ou até mesmo um digital influencer não pode deixar-se “cair no esquecimento”. É isso, entretanto, que acontece quando não se publica constantemente.

É importante saber que a rede social já não organiza o feed pela cronologia há quase dois anos. O algoritmo do Instagram é o que ele explica a lógica do feed, porém ele pode mudar a todo momento. Assim, é necessário seguir um ritmo de publicação (de preferência diário). Isso acontece porque quanto mais um usuário curtir um conteúdo, mas ele aparecerá em seu feed.

Para o algoritmo do Instagram, quanto mais interações um perfil promove, mais importante ele é. Isso explica a lógica de como muitas pessoas conseguiram se tornar famosas através do aplicativo.

É possível comprar seguidores no Instagram?

Principalmente através da lógica do algoritmo do Instagram, é possível entender que são necessárias estratégias diferenciadas para se destacar. Empresas, celebridades, youtubers ou apenas quem deseja um perfil mais relevante utilizam-se da técnica de comprar seguidores. A dúvida, contudo, é quanto à eficácia desse tipo de serviço.

Comprar seguidores no Instagram é possível, sim, e se tornou uma prática comum. O que faz muitas pessoas ficarem em dúvida quanto a isso são os perfis com muitos seguidores falsos, por exemplo. Essa é a questão que se deve estar atento: comprar seguidores não pode ser feito de qualquer modo.

É preciso, sobretudo, comprar seguidores reais. Esses são os seguidores que irão realmente interagir em publicações. Eles irão se interessar pelo conteúdo e, assim, ajudar a aumentar o engajamento do perfil.

O número de seguidores é uma das variáveis consideradas por muitos usuários na hora de “julgar” um perfil. Uma marca que está iniciando, por exemplo, tem maior credibilidade para conquistar mais seguidores quando já possui outros. Além disso, é válido destacar que esses novos seguidores provavelmente se transformarão em clientes.

Ter um alto número de seguidores faz com que um perfil seja uma “autoridade”. Ou seja, ele tem reconhecimento, tem “propriedade” para criar conteúdo – e o conteúdo, é claro, deve ter qualidade. Assim, o ranking de um perfil no Instagram ganha destaque e a plataforma entende que ele é realmente importante.

 

WhatsApp Web agora mostra localização em tempo real

WhatsApp Web passou a oferecer compatibilidade com o recurso de localização em tempo real. A função, liberada para as versões da plataforma na web e macOS, serve para compartilhar os movimentos com um amigo. O recurso já havia sido disponibilizado no WhatsApp Desktop para Windows após uma atualização de junho. Nos aplicativos para celular Android e iPhone (iOS) o recurso está acessível desde outubro de 2017.

O mensageiro para computador permite apenas visualizar a localização compartilhada de um amigo. Enviar o próprio posicionamento atualizado ao vivo, ainda, só é possível via celular.

Fora o compartilhamento da sua própria localização, o recurso na Internet oferece as mesmas funções do aplicativo móvel. A localização abre dentro da janela de conversa, onde é possível ver o deslocamento do contato no mapa integrado. É permitido mudar a visualização do mapa para os modos satélite, terreno e trânsito e alterar o tempo de exibição.

Ao clicar na imagem do contato, a rede social mostra a precisão do posicionamento em metros e permite obter direções para o endereço em uma nova aba do Google Maps. Quando o tempo de compartilhamento de localização termina – ou o contato cancela a função manualmente –, o WhatsApp Web avisa não ser mais possível acompanhar a trajetória.

A localização em tempo real permite informar aos amigos exatamente o lugar em que você está. O indicador localização se movimenta conforme o usuário se locomove pela cidade e mostra durante 15 minutos, 1 hora ou 8 horas. A informação pode ser exibida para uma pessoa específica ou para todos e pode ser desativada a qualquer momento.

Ficou mais fácil ativar todas as novidades na interface do Google Chrome

A Google vem brincando com novidades na interface do Chrome há algum tempo, mas esses novos recursos têm sido espalhados sob diversas “flags” obscuras do navegador, dificultando a vida de quem desejava conferir como deve ficar o browser quando a empresa terminar de construir a nova interface. Hoje (27), contudo, foi descoberto que nas versões 69 e 70 do Beta e do Canary do Chrome já é possível conferir esse novo design por completo.

A Google criou uma única flag nessas versões do navegador para ativar o novo visual do Chrome. Com isso, não é preciso vasculhar o código do browser nem passar meia hora ativando recursos desconhecidos.

Você só precisa colar essa URL “chrome://flags#upcoming-ui-features” na barra de endereços do Chrome Beta ou Canary nas versões 69 ou 70. Ao dar um Enter, você verá uma ferramenta chamada “Use all upcoming UI features”. Torque a opção de “Disabled” para “Enabled” e reinicie o programa. Assim que o Chrome aparecer de volta na sua tela, ele trará todas as novidades que a Google pretende mostrar para o mundo nas próximas semanas.

As mudanças mais perceptíveis estão no visual da barra de guias, bem como os botões em volta da barra de endereços. Tudo ficou mais arredondado e mais em linha com o novo Material Design que a Google já inaugurou no Android Pie.

A tela inicial do browser também não mostra mais as prévias dos principais sites que você visita. Em vez disso, aqueles quadradões agora dão espaço a simples ícones dentro de um círculo cinza. A tela de configurações também recebeu algumas novidades de organização. Caso você queria testar a ferramenta, faça o download do Chrome Canary através deste link.

WhatsApp vai apagar fotos e vídeos inativos em novembro; veja como evitar

A partir do dia 12 de novembro, o WhatsApp irá alterar o sistema de armazenamento de backup via Google Drive para usuários de Android. Com isso, fotos e vídeos antigos serão apagados da nuvem. Segundo o aplicativo, os arquivos que não foram atualizados há menos de um ano serão excluídos automaticamente do armazenador.

Para evitar que o usuário perca os arquivos mais antigos, a dica é realizar o backup manual dos arquivos e salvar externamente.

Veja o passo a passo

Acesse a área de configurações

Reprodução

Vá até a aba “Conversas” e depois “Backup de conversas”

Reprodução

Dentro dessa área, clique em “salvar”. O WhatsApp irá gerar um arquivo para download com todas mensagens, mídias, fotos e vídeos

Reprodução

 

O próprio aplicativo recomenda que os usuários façam a solicitação do backup utilizando uma rede wi-fi, para evitar o consumo de dados móveis — já que os arquivos podem ser grandes.

Aplicativo do Facebook é removido da App Store por monitorar usuários

O Facebook sofreu mais um revés envolvendo a privacidade de seus usuários. Agora o aplicativo Onavo, desenvolvido por uma empresa israelense comprada pela companhia em 2013, foi removido da App Store por violar os termos de coletas de dados impostos pela Apple.

Como aponta o Wall Street Journal, o aplicativo foi removido pelo próprio Facebook, após discussão com a Apple sobre o assunto. Quem for procurar pelo Onavo na App Store, não vai mais encontrá-lo, mas quem já baixou poderá continuar usando o serviço no iOS.

A questão do Onavo data do início de 2018, embora o aplicativo seja mais antigo que isso. O serviço prometia uma VPN grátis capaz de proteger a privacidade dos usuários e bloquear sites prejudiciais. No entanto, por ser um aplicativo do Facebook, todo o tráfego acaba monitorado para alimentar o banco de dados da companhia sobre os usuários, permitindo à empresa entender o que o público faz em seus celulares enquanto não estão usando os serviços do próprio Facebook.

A Apple adotou uma política mais rígida em relação à coleta de dados por parte dos aplicativos recentemente. Os termos de uso da App Store dizem claramente que os aplicativos não podem coletar dados e compartilhá-los com terceiros para fins que não sejam melhorar o aplicativo ou publicidade. Como o Onavo repassa dados para o Facebook para monitorar o que o público faz online, o app foi removido.

No Google Play, no entanto, o aplicativo continua sendo distribuído livremente, refletindo uma postura mais relaxada do Google em relação à privacidade. A descrição deixa clara as práticas do Onavo. “Como parte do oferecimento destes serviços, o Onavo pode coletar seu tráfego de dados móvel. Isso nos ajuda a melhorar e operar o serviço Onavo analisando seu uso de sites, aplicativos e dados. Por sermos parte do Facebook, nós também usamos essas informações para melhorar os produtos e serviços do Facebook, entender quais produtos e serviços as pessoas valorizam e construir experiências melhores”.

Instagram testa recomendação de posts no feed

Instagram está testando uma ferramenta de recomendação de publicações no final do feed do usuário. Chamada de “Recommended For You” (“Recomendado para você”, em português), o recurso sugere novas postagens com base nas pessoas que a conta segue e no conteúdo — seja ele foto ou vídeo — curtido pelo próprio usuário.

A recomendação aparecerá abaixo de todos os posts vistos recentemente no feed, logo depois do aviso de “Isso é tudo”. De acordo com o anúncio no blog oficial do Instagram na última segunda-feira (20), a função está em fase de testes e pode sofrer mudanças de acordo com o feedback de usuários. A previsão da rede social é de que a ferramenta apareça para mais contas a partir das próximas semanas.

Nova ferramenta recomenda conteúdo baseado nas preferências dos usuários no Instagram (Foto: Divulgação/Instagram)

Entenda os posts recomendados do Instagram

A ferramenta aparecerá logo abaixo da mensagem já conhecida “Isso é tudo — você viu todas as novas publicações dos últimos dois dias”, que indica que não há mais novidades no feed a partir do momento em que o alerta é mostrado. Basta rolar a página para visualizar as postagens sugeridas pela rede social. Há também a opção de seguir o perfil e começar a acompanhar as publicações do usuário ou marca recomendado.

Além dos posts recomendados, o recurso permite acessar as postagens antigas do próprio usuário. Essa opção também está localizada no final de todas as atualizações dos seus contatos do feed, e é indicada por um botão azul “view past posts” (ver publicações antigas).

De acordo com o Instagram, o objetivo da ferramenta é “tornar o feed o melhor lugar para compartilhar e se conectar com as pessoas e interesses que mais importam para você”. A rede social foi além: “Agora, com as postagens recomendadas, você pode ver ainda mais o que está sendo compartilhado pela nossa comunidade”.

Gmail para Android finalmente ganha botão de cancelar envio de mensagem

O aplicativo do Gmail para Android finalmente está recebendo uma função bastante pedida pelos usuários. Trata-se do botão “Undo” (ou “Desfazer”, na tradução para a versão em português), que permite ao usuário cancelar o envio de um email antes que o destinatário receba a mensagem. Isso é especialmente importante quando você percebe só em cima da hora que se esqueceu do anexo ou de algum destinatário, por exemplo, ou se arrependeu de escrever algum conteúdo.

O recurso é bastante simples: logo depois que você clica em “Enviar” para um email, junto da mensagem que avisa que o recado está sendo transportado, surge também o botão para cancelar a ação. Você tem somente 10 segundos para pressioná-lo e, se fizer isso com sucesso, o outro lado não recebe nenhum tipo de notificação. O email não enviado volta a ser um rascunho e você pode trabalhar no conteúdo novamente.

A atualização já está disponível para os usuários do GMAIL.

O “Undo” já existia no app do Gmail para iOS, assim como na versão web do serviço da Google. Por enquanto, o recurso não foi anunciado oficialmente pela empresa, mas deve surgir em versões estáveis do app para Android em breve — a partir da 8.7, segundo alguns testes. Quem fez o flagra do recurso foi o site Android Police.

Facebook vai atribuir pontuação de reputação a todos os usuários

O Facebook revelou esta semana um novo expediente para tentar conter a ventilação de notícias falsas. A rede social desenvolve atualmente um sistema para avaliação de usuários, cujo resultado será um ranking de confiabilidade a ser utilizado, sobretudo, internamente.

Os critérios escolhidos para determinar a reputação individual, entretanto, não devem ser divulgados – sob o risco justificável de que muitos usuários passariam a manipular a pontuação em benefício próprio. Em entrevista ao site do The Washington Post, a gerente de produtos da Facebook, Tessa Lyon, adiantou apenas que a cada usuário será associada uma pontuação variando entre zero e um – indicando o quão confiável cada um pode ser considerado.

“Não saber como o Facebook está nos julgando é algo realmente desconfortável”, reconhece a diretora do First Draft, um laboratório de pesquisas pertencente à Universidade de Harvard cujo foco são os estudos sobre o impacto de informações falsas. “Ironicamente, entretanto, eles não podem nos dizer como estão nos avaliando – porque, se o fizeram, o algoritmo que utilizam será utilizado como um jogo.”

Denúncias com base ideológica

De fato, a única métrica revelada diz respeito ao histórico de postagens. Basicamente, se um usuário constantemente denunciar como “falsas” publicações tidas como confiáveis pela rede social, esse usuário será considerado pouco confiável.

“Eu normalmente brinco dizendo que esse trabalho seria muito mais fácil se as pessoas denunciassem apenas coisas falsas”, diz Lyon, fazendo menção aos vários casos de denúncias baseadas, sobretudo, em posturas ideológicas discrepantes entre usuários e conteúdo. “Com frequência as pessoas denunciam materiais unicamente por discordarem deles.”

Conforme aponta o site The Next Web, a divulgação do novo algoritmo por parte do Facebook não ocorre por acaso. Afinal, os EUA se aproximam das próximas eleições – de forma que a rede social “quer mostrar que pode nos proteger”.

De qualquer forma, parece pouco provável que a nova ferramenta possa funcionar de maneira completamente análoga ao ranking do Facebook para veículos de mídia. Afinal, é de se acreditar que a rede social não vá limitar a utilização ou mesmo excluir usuários unicamente por pontuarem baixo em questões de reputação.