Autor: Elson Barbosa

Google Notícias ganha funções para acesso offline e economia de dados móveis

O Google anunciou nesta segunda-feira (10), através de uma postagem no seu blog oficial, que o Google Notícias irá oferecer quatro novos recursos para usuários que usam conexões mais leves, incluindo aqueles que possuem smartphones rodando a versão mais simples do seu sistema operacional móvel, o Android Go.

De acordo com a postagem, o Brasil é a nação que mais usa o aplicativo de notícias, que está disponível em 127 países e 65 idiomas. Com a implementação das novidades, o objetivo da empresa é levar além das rotineiras notícias destacadas e direcionadas, a possibilidade de acesso independente do modelo de celular ou do plano da operadora, funcionando em lugares sem sinal, como no metrô, ou em localidades com sinal fraco.

Confira abaixo as novidades:

  • Quando possível, os vídeos no app vão abrir no YouTube Go, garantindo que os vídeos sejam entregues em um formato mais leve e ainda assim uma com boa resolução. Os vídeos não vão mais começar automaticamente, poupando preciosos dados de internet.
  • Noticiários, previews de uma história, se adaptarão para se tornar mais textuais, para poupar seus dados.
  • Imagens são comprimidas e podem ser carregadas com apenas um toque. Vídeos e gifs também não vão tocar automaticamente. Além disso, menos dados em cache serão salvos em seu celular.
  • Qualquer notícia pode ser salva para mais tarde quando estiver em modo off-line de maneira fácil. O conteúdo será baixado em uma conexão wi-fi para ler depois.

Sem necessidade de configurar ou verificar uma determinada opção, as novidades chegarão e serão ativadas automaticamente no decorrer das próximas semanas. Como aqui no Brasil, segundo a empresa, mais de 40% dos usuários possuem celulares com pouca memória, a relevância das novas características pode ser considerada alta, uma vez que facilitará o acesso à informação.

Instagram está testando ferramenta de marcação de usuários em vídeos

O Instagram parece estar mesmo interessado em melhorar a experiência com vídeos de seus usuários. Segundo uma descoberta do TechCrunch e confirmada pela empresa, já está em testes uma nova opção de “marcar” usuários em vídeos, assim como já acontece com as fotos.

A opção irá funcionar de modo bem parecido com o que acontece com as imagens estáticas, mas ao invés de mostrar a lista de pessoas marcadas sobre o conteúdo, o botão irá direcionar o usuário para uma nova página, com uma lista de todos os perfis que foram marcados naquele vídeo.

O Instagram não divulgou mais informações sobre o teste, e nem divulgou nenhuma data de quando pretende lançar essa atualização para todos os usuários. Por enquanto, só o que sabemos é que essa opção está disponível para apenas alguns poucos usuários (e só entre aqueles que se inscreveram para fazer parte da equipe de testes do aplicativo) e está presente apenas no app, não sendo possível visualizar as marcações pela versão web do Instagram.

Ainda que o Instagram já possua a opção de compartilhamento de vídeo desde 2013, até então o único modo de marcar amigos em um vídeo seria mencionando eles em algum comentário ou no texto do post. Mas, com o atual foco da empresa — até como uma tentativa de trazer mais usuários para o IGTV — a marcação de usuários se torna uma função básica que já possui uma implementação bastante atrasada.

Ainda que o Instagram não tenha falado nada sobre, a expectativa dos usuários é de que logo o Instagram permita também a postagem não só de fotos, mas também de vídeos que levem direto a páginas de compra ou ao catálogo de empresas, tornando a venda de produtos pela plataforma ainda mais estruturada.

Google anuncia versão mais leve de seu app de notícias

O Google tem investido em várias versões simplificadas de seus aplicativos para estar presente também em celulares mais limitados. Foi assim com YouTube Go e Gmail Go, por exemplo. Agora, outro que ganhou uma atualização é o Google Notícias.

Em anúncio feito no seu blog, a empresa afirmou que deseja “garantir que o Google Notícias funcione independentemente do celular ou plano de operadora que você tenha”. Para isso, o aplicativo ganhou algumas melhorias para seguir na ativa mesmo sem internet ou em locais com sinal fraco.

Segundo o Google, os usuários nessas condições serão beneficiados com essas mudanças. A primeira delas prevê a execução de vídeos no YouTube Go, sempre que possível. Eles não começarão de forma automática e ajudarão a economizar dados.

Ainda com o objetivo de poupar a franquia, as notícias darão mais destaque aos textos. As fotos foram comprimidas e só serão carregadas quando você tocar nelas. O aplicativo também salvará menos dados em cache no smartphone.

Por fim, as notícias do app poderão ser salvas quando você estiver em uma conexão Wi-Fi. O objetivo é permitir que você guarde algo para ler nos momentos em que sabe que ficará sem internet, como no metrô, por exemplo.

A atualização do Google Notícias será liberada para todo o mundo de forma gradual. Ela também vale para usuários do Android Go, os principais interessados na economia de dados. O Google espera que a nova versão esteja totalmente liberada nas próximas semanas.

Empresários investem em ferramentas de marketing digital para alavancar vendas

Ter o seu negócio exposto na Internet se tornou fundamental para o empresário que visa crescimento e busca por novos clientes. Segundo o especialista em Marketing Digital, Rodrigo Lopes, o empreendedor hoje precisa estar atento as novas tendências do mundo digital, pois a Internet mudou a forma de se competir do mercado. “Hoje a briga não é por quem tem a melhor fachada ou está no melhor ponto comercial, a briga é por quem consegue mais visibilidade na Internet”. Nesse sentido as redes sociais desempenham um papel importante na divulgação de produtos e serviços.

A pesquisa Social Media Trends 2018, realizada online pela agência Rock Content, com representantes de empresas no Brasil, constatou de 94,4% das empresas estão presentes nas redes sociais, e que destas, 62% avaliam que as redes têm um papel importante no desenvolvimento dos seus negócios. Entre as redes sociais mais utilizadas estão o Facebook, Instagram, LinkedIn e Twitter.

O Instagram é uma rede social que se destaca pois é a que mais cresce atualmente. Dados divulgados pela própria empresa afirmam que 1 bilhão de pessoas acessam a rede de compartilhamento de fotos e vídeos pelo menos uma vez por mês. Lançado em 2010, o aplicativo já foi atualizado diversas vezes e agregou novas ferramentas para otimizar a experiência do usuário. Desde 2016 é possível criar uma conta comercial no Instagram, com inúmeras vantagens, entre elas impulsionar publicações e acompanhar as interações do perfil, como por exemplo, o número de visitas.

Em junho de 2018, o Instagram comemorou a meta de 25 milhões de perfis comerciais e para celebrar essa marca lançou mais uma novidade para o empreendedor, o Instagram Shopping, que possibilita realização de vendas dentro do aplicativo. De acordo com dados publicados em seu site oficial, 80% dos usuários seguem algum perfil de empresa com a qual se identifica e todos os dias 200 milhões de usuários visitam perfis comerciais, o que tornou o aplicativo um potente canal de comunicação empresarial, e quase uma obrigação para quem quer criar uma presença digital.

Mas como encontrar o usuário dentro da rede social interessado no seu negócio? Essa tem sido a maior dificuldade das empresas, que cada vez mais investem em conteúdo de qualidade para chamar atenção do público consumidor. Mais do que interagir com milhões de pessoas, é essencial interagir com as pessoas certas. Pensando nisso novas ferramentas de Marketing Digital surgem no mercado, com a promessa de automatizar o perfil comercial e atrair novos clientes.

O Midiagram, ferramenta de automatização desenvolvida pela Sounet Marketing Digital, tem auxiliado empresários com essa dificuldade. A partir da automação de um perfil, ele passa a curtir e seguir contas de usuários de acordo com uma segmentação. Essa segmentação é feita por localização, gênero, hashtags (que são palavras chave ou termos associados a uma informação), perfis referenciais e perfis concorrentes. Dessa forma, a plataforma filtra usuários interessados no segmento de um determinado perfil comercial, e não apenas atrai novos seguidores mas pessoas que se encaixam no público alvo.

Com a ferramenta ainda é possível criar uma mensagem de boas-vindas para envio automático e controlar o horário para interação com os seguidores. Outro solução digital oferecida pela Sounet é a configuração do Instagram Shopping, que apesar de ter sido lançado há alguns meses ainda não é utilizado pela maioria dos perfis comerciais dada a sua complexidade. O cliente tem todo o seu perfil configurado para alavancar as vendas pela rede social de forma rápida e prática.

Instagram pode lançar novo aplicativo focado em compras

Após o lançamento do IGTV como um aplicativo independente, o próximo investimento do Instagram poderá ser um novo App focado em compras.

Segundo o The Verge, o App poderá ser chamado de IG Shopping e permitirá ao usuário navegar entre coleções se produtos de diferentes comerciais, com uma opção para comprá-los diretamente do serviço.

A publicação indica ainda que o aplicativo segue em desenvolvimento – o que significa que ainda existe a possibilidade de que o projeto seja abandonado antes do lançamento. Uma data para o possível lançamento do app também não foi confirmada.

Em março do ano passado, Instagram começou a testar de forma ampla uma ferramenta para a venda de produtos dentro do App, que permite a empresas oferecer seus produtos colocados em fotos. Até então, no entanto, nenhum plano para transformar o recurso em um App independente foi ventilado.

O Instagram não comentou a informação levantada pelo site.

Comprar seguidores e curtidas no Instagram: entenda os riscos

Comprar seguidores no Instagram pode ser tentador. Diversos aplicativos e plataformas na web prometem aumentar o número de fãs, curtidas e até comentários em um curto espaço de tempo, sem esforço algum. Alguns oferecem contas falsas para “bombar” seu perfil, enquanto outros captam perfis reais, por meio de mecanismos para automatizar o processo de seguir as contas.

Os preços começam em torno dos US$ 2,99 — aproximadamente R$ 12, pela cotação atual. Com valores baixos para começar a investir, é natural que a tática pareça o atalho perfeito para quem quer se tornar um digital influencer ou divulgar sua marca. Mas os resultados revelam outro cenário, bem mais desanimador: no geral, o método funciona como uma antipropaganda. Entenda os riscos de comprar seguidores no Instagram.

É contra os termos de uso do Instagram

Os termos de uso proíbem o usuário de coletar ou acessar informações de forma automatizada, por métodos não autorizados pela plataforma, o que abrange todas as aplicações que não sejam propriedade do Instagram. Dessa forma, sua conta pode ser desativada ou excluída, caso a rede social identifique o uso de bots para seguir, curtir, comentar, entre outras ações.

Você pode perder os seguidores comprados a qualquer momento

Como o Instagram exclui constantemente contas falsas, os seguidores fake comprados podem ser desativados pouco tempo depois. Ou seja, há uma grande chance de você gastar dinheiro e ainda perder seguidores de maneira drástica em seu perfil.

É fácil perceber um perfil com seguidores comprados

Há duas formas mais comuns para investir em seguidores. A primeira é ao contratar um serviço responsável por criar contas falsas para curtir seu perfil pessoal ou da sua marca. Elas também podem curtir seus posts, conforme a negociação com a empresa. A segunda consiste em acessar um bot designado a seguir contas verdadeiras, curtir algumas postagens de forma automática e, depois de um tempo, deixar de segui-las. O objetivo é que pessoas reais sigam a etiqueta do “me segue que eu te sigo de volta” e passem a acompanhar a conta.

No entanto, os dois métodos deixam rastros. O primeiro é o mais aparente, pois esses perfis fake não têm fotos nem interações próprias. E mesmo no segundo, voltado para contas reais, é comum as pessoas deixarem de seguir após perceberem que se trata de um robô.

Isso ocorre quando o perfil curte várias fotos em um curto espaço de tempo ou tem 150 mil seguidores, mas apenas 200 curtidas por postagem, por exemplo. Esse tipo de conta também costuma ter uma quantidade enorme de curtidas em posts, mas poucos comentários, pois os likes são mais baratos. A presença massiva de comentários genéricos, como “É isso aí” ou “Legal”, também desperta o alerta vermelho de compra de seguidores.

Estraga sua reputação

Caso seu intuito com a aquisição de seguidores seja se tornar influencer ou promover uma marca, o método pode ter efeito contrário. As empresas anunciantes possuem mecanismos para identificar se uma conta possui muitos perfis falsos e, caso encontrem, nunca farão negócio com você.

Os seguidores que perceberem a artimanha, provavelmente, não deixarão apenas de seguir a conta, como perderão a credibilidade na marca. Assim, a conversão de seguidores em clientes se tornar ainda mais difícil. Em algumas situações mais tensas, é possível que alguém exponha a fraude nos comentários e promova uma repercussão negativa para o perfil.

Seguidores falsos não geram engajamento

A métrica mais importante do Instagram é o engajamento. Ela é essencial para definir a divulgação do seu conteúdo no feed de seus seguidores e, eventualmente, na aba “Explorar”. Por essa razão, é na taxa de engajamento — não apenas no número absoluto de seguidores em um perfil — que as marcas se baseiam na hora de contratar um influenciador.

O problema é: essa métrica nunca aumenta com a compra de seguidores e curtidas — pelo contrário, ela diminui. Isso porque esses perfis não vão efetivamente interagir com a conta, mesmo os que dão likes. As interações com post — curtidas e comentários — serão divididas pelo número de seguidores para gerar a taxa. Com um alto número de seguidores, o engajamento será baixo e não será possível se sobressair na rede social.

Fonte: Tech Tudo

Conta do Google pode em breve servir como login no Windows 10

Embora a Google centre naturalmente os seus esforços no Chrome OS, seria leviano dizer que a companhia não faz seus esforços, de tempos em tempos, em unificar as plataformas, sobretudo quando se trata do macOS e do Windows. O sistema operacional da Microsoft, por exemplo, pode ganhar em breve a possibilidade de efetivação de logins via conta do Google.

A informação foi inicialmente encontrada pelo Chrome Story como um novo projeto a ser inserido no Chromium, o sistema de código aberto que serve de base ao Chrome OS. Aparentemente, a funcionalidade tem como foco usuários empresariais da chamada G Suite (conjunto de aplicativos da Google que podem ser personalizados com diferentes nomes de domínio, incluindo Gmail, Hangouts, Drive, Docs etc.).

Google Credential Provider

O commit encontrado revela a função “Google Credential Provider”, a qual se baseia na característica do Windows de permitir a inclusão de credenciais de outras empresas, para além do conjunto de login e senha que normalmente acompanham um computador movido a Windows 10. Dessa forma, seria possível ganhar acesso ao sistema operacional por meio de uma conta de e-mail padrão do Google.

Por fim, a nova funcionalidade parece algo a ser instalado manualmente pelo próprio usuário. Após proceder as modificações necessárias, bastaria reiniciar o sistema para ser recepcionado com uma tela francamente herética, mais ou menos como a mostrada na imagem acima — um conceito elaborado pelo site Bleeping Computer.

Aparentemente, não há a necessidade de ter o Chrome instalado na máquina. Até o momento, a Google não se pronunciou sobre possível a novidade.

4 caminhos para se adequar à comunicação na era digital

A revolução da comunicação digitar é uma realidade, mesmo os mais desavisados sabem da necessidade de se adequar. A Internet e as tecnologias mobile são os principais causadores dessas mudanças, afetando as mais diversas áreas e criando novas interações e oportunidades.

“Independentemente da idade da pessoa, ou classe social a mudança já está afetando as vidas, a comunicação na era digital é uma questão imediata, que atravessa nossa experiência do cotidiano. Aqueles que melhor se apropriam dos seus recursos têm muitas vantagens sobre aqueles que não o fazem tão bem”, avalia Reinaldo Passadori, CEO da Passadori Comunicação e Educação.

Sabendo da relevância e atualidade desse assunto, Reina desenvolveu alguns pontos que devem ser levados em conta pelas pessoas para se adequarem a essa nova realidade.

Qual tecnologia investir?

Esse trata-se de um dilema comum a muitas pessoas. Parte disso tem relação com a sensação compartilhada de que estamos sempre atrasados diante das exigências da sociedade em relação aos gadgets e tecnologias do momento.

É impossível estar alinhado às novidades do mercado, já que são inúmeros os lançamentos, que, inclusive, são destinados a públicos bem específicos, a depender do produto. Apesar disso, é normal que você continue a se sentir ultrapassado com seu celular lançado há alguns anos. A questão é: ele atende às suas necessidades de comunicação?

Lembre-se ninguém é obrigado a aderir a qualquer tecnologia, por mais massificada que ela seja. Por outro lado, restringir seu acesso a determinadas ferramentas pode ser muito limitante. Um primeiro ponto a ser observado parte das suas necessidades atuais e daquilo que você pretende alcançar.

Um exemplo comum disso é o uso de aplicativos de trocas de mensagens, como o WhatsApp. As pessoas que se recusam a aderir a uma ferramenta como essa, de fato, acabam sendo excluídas de algumas interações e, eventualmente, perdendo oportunidades valiosas.

Como diferenciar a comunicação presencial da digital?

Existem diferenças entre as duas formas de se comunicar. Podemos observar, inclusive, como as interações virtuais causam modificações na maneira como as pessoas se relacionam “ao vivo”. Não adianta querer simplesmente transportar as regras de convivência para o mundo online.

Os contextos são diferentes, exigindo que os acordos sejam refeitos e adaptados. Existe uma informalidade maior no mundo digital, mas isso também não quer dizer que você deveria usar gírias ou abreviações em qualquer lugar.

As redes sociais podem ser um espaço para isso. Já o e-mail dá um tom mais sério para a conversa e deve sempre ser usado para situações mais formais, como o envio de um currículo. Por sua segurança e fácil acesso, o recurso serve bem como prova objetiva em questões jurídicas, por exemplo.

Atualmente não há necessidade constante da presença física, certas conversas e reuniões podem ser feitas por vias digitais ou por uma chamada via telefone, sem prejudicar a eficiência dessas interações. Porém, outras exigem uma presença física de ambas as partes.

Como se preparar para desafios?

Ainda existem resistências em conhecer novidades de tecnologias, por acreditarem que não são aptas ou que estão “velhas demais” para utilizá-las. No entanto, um curto tempo de aprendizado pode ser bastante recompensador em termos de um acesso a novos recursos tecnológicos.

Muitos dos sistemas atuais, inclusive, são altamente intuitivos, o avanço dos eletrônicos caminha cada vez mais nesse sentido, visando a uma otimização da experiência do usuário, adaptável a públicos com diferentes restrições.

Outra dica útil é procurar aprender e aperfeiçoar um segundo idioma, preferencialmente o inglês. Com essa bagagem, é possível tanto se apropriar de tecnologias que não existem em português quanto entrar em contato e trocar experiências com pessoas de outros países.

Quais mudanças esperar?

É cada vez mais comum que determinadas interações que antigamente eram exclusivas ao meio físico passem a ser possíveis também por meio do mundo digital. Atividades antes muito burocráticas, hoje, podem ser executadas facilmente com o recurso da nuvem e com outras formas de compartilhamento de dados.

Existem inúmeros exemplos de situações como essa, e a tendência é o seu crescimento com o tempo. Algumas profissões serão diretamente revolucionadas por tais mudanças, enquanto outras ocupações inteiramente novas serão criadas com esse processo.

O atendimento psicológico a distância, por exemplo — algo inimaginável há algum tempo — hoje, já é uma realidade para muitos terapeutas e pacientes. De um modo ou de outro, o futuro é bastante incerto. Sabemos apenas que a era digital estará cada vez mais presente na sociedade. Resta observarmos seus desdobramentos e nos apropriarmos daquilo que nos interessa ou que seja pertinente para a prática profissional.

Não há como escapar das mudanças advindas da revolução digital. Ao contrário disso, a maior parte delas é muito bem-vinda para fornecer soluções eficientes e proporcionar rapidez em nossas necessidades.

A comunicação na era digital se dá por meios cada vez mais diversos, mas nem por isso inacessíveis. Basta um pouco de paciência para aprender e saber escolher as ferramentas que se ajustam às suas necessidades.

Fonte: TN Online

Comunicação Empresarial: uma nova realidade para as empresas

Nos dias de hoje, as empresas não estão sendo mais vistas como distantes e intocáveis, tanto por parte do público externo quanto pelos seus próprios funcionários. Com a nova realidade do mundo digital e valorização dos relacionamentos e comunicação, é evidente que as empresas alteraram sua configuração. Consideradas como organismos vivos, formadas por indivíduos com interesses diferentes, as instituições estão cada vez mais dedicando seus esforços para manterem relacionamentos e diálogos com os diversos públicos com os quais elas têm contato. Portanto, é neste contexto que a Comunicação Empresarial se estabelece e ganha seu espaço como um elemento estratégico.

Para que a empresa mantenha o seu funcionamento adequado, é necessário que a Comunicação também esteja de acordo, garantindo o bom andamento do sistema operacional e administrativo. É através da Comunicação que os colaboradores se mantém alinhados aos objetivos da empresa e, consequentemente, se sentem pertencentes a ela, aumentando consideravelmente o desempenho coletivo. Dessa forma, listamos algumas vantagens de se ter uma boa Comunicação Empresarial:

  •  Evitar boatos e rumores a respeito da empresa: quando a Comunicação ocorre de forma efetiva e transparente, as decisões da Diretoria são repassadas para os demais setores, evitando boatos internos e externos.
  • Abrir espaço para o diálogo: sentindo-se valorizados, os colaboradores conseguem dialogar de forma aberta com a empresa, tirando dúvidas e sugerindo mudanças. Assim como os colaboradores possuem mais liberdade para o diálogo, o público externo também tem abertura para tal.
  •  Melhorar a imagem da empresa: mantendo a comunicação adequada tanto com o público interno quanto com o externo a empresa ganha credibilidade, autoridade e confiança perante esses públicos, tornando sua imagem mais positiva.
  • Aumentar o alinhamento e a produtividade: quando os funcionários sabem exatamente as funções uns dos outros e mantém o diálogo constante, os problemas na produção são minimizados e, em consequência disso, a produção aumenta.
  •  Melhorar o clima organizacional: com uma comunicação adequada, os colaboradores sentem-se mais à vontade dentro da empresa, contribuindo para um clima interno positivo e trabalho agradável.

Cinco formas de colocar música nos Stories do Instagram

Instagram Stories também pode ser usado para postar música na rede social, além de fotos e vídeos. Há, pelo menos, cinco formas diferentes de colocar canções nas histórias da plataforma, seja com funções nativas, como o sticker de música, ou através de truques — atalhos feitos pelos usuários, quando o aplicativo ainda não aceitava arquivos de áudio. Aprenda todas as maneiras de postar música na rede social no tutorial para smartphones com Android ou iPhone (iOS).

Sticker de música

A maneira “oficial” e mais simples de adicionar música aos Stories é usando o adesivo presente no menu de emojis do aplicativo. Escolha a música a partir de um banco de dados do Instagram, defina o trecho desejado e posicione o objeto na tela. A referência da música ficará sobreposta à foto, depois de postar na rede.

Modo “Música” de captura

Para fazer vídeos com trilha sonora, é preciso abrir a câmera integrada do Instagram e fazer uma filmagem no modo “Música”, ao lado da opção “Ao vivo”. Escolha a canção também a partir do acervo oferecido pelo Instagram e defina o tempo antes de começar a gravar. Em seguida, basta posicionar o sticker na tela e compartilhar com os amigos.

Spotify

O Spotify tem uma maneira indireta de postar música nos Stories, por meio do próprio app de streaming. Abra uma faixa em reprodução e acesse o menu no botão de três pontos. Depois, toque em “Compartilhar” e selecione “Histórias do Instagram”. O conteúdo aparecerá na forma da capa do título compartilhado. Você pode mover o elemento e usar as ferramentas de edição antes de publicar.

Vídeo sem sticker

Para postar vídeos sem um sticker, no meio da gravação, é preciso recorrer a um truque antigo. Antes de começar, abra um player de vídeo, como o Spotify ou o Deezer, e coloque uma música para tocar. Em seguida, ao inicar a gravação do vídeo, o som ao fundo servirá de trilha sonora. Lembre-se de aumentar o volume do celular para obter o melhor resultado. Além de dispensar o adesivo, essa maneira expande a lista de músicas para escolher.

Gravação de tela

Um truque parecido pode ser feito para compartilhar uma música do Spotify sem utilizar sticker nas histórias. Use o gravador de tela nativo do iPhone ou um aplicativo como o AZ Screen Recorder no Android para capturar as ações no smartphone com a capa do álbum aberta. De novo, se certifique de que o volume está alto o suficiente para ser capturado pelo microfone do celular. Ao terminar o vídeo, abra o Instagram e poste o material recém-criado. Quem assistir os Stories verá apenas a arte da música imóvel, enquanto a faixa toca no fundo.